Faz algum tempo que venho tentando me despedir do amor, do amor romântico, do amor dependente, do amor que sufoca, do amor que maltrata, machuca e faz mal, venho tetando dar adeus ao amor irreal. Tentando desconstruir a ideia que criei dentro de mim que para amar era preciso chorar um pouquinho, que para amar era preciso um esforço enorme, que para amar eu precisava por um tempo abrir mão de mim para ver o outro feliz.

Percebi que na minha vida não cabe tanto desgaste, não cabe alguém a quem eu precise com todas as minhas forças lutar para agradar,não cabe alguém que me imponha obrigatoriedades onde devia existir uma troca natural de afeto, não caibo mais em pessoas pequenas, em relações pequenas, não tenho o poder de fazer ser grande quem quer permanecer para sempre no lugar de pequenez.

Procuro de agora em diante amores que sejam acima de tudo recíprocos, que nas horas ruins o fardo seja dividido e que as horas boas sejam repletas de alegrias que superem qualquer contratempo que possamos ter, não quero alguém perfeito, não quero a pessoa que vai mudar minha vida, não quero planejar uma vida antes mesmo de ouvir um sim, eu quero conversas regadas a risadas ou tão profundas que arranquem lágrimas, eu quero alguém pra dividir um litrão de cerveja, alguém que goste de olhar o pôr do sol na praia.

Quero alguém que apoie os meus sonhos e que compartilhe os seus comigo, eu quero conchinha e respeito quando eu precisar ficar só, não quero um amor de cinema, quero um amor real, não quero um amor cheio de brigas, cheio de idas e vindas, quero um amor tranquilo, alguém para em uma tarde de domingo deitar na rede e tirar um cochilo.

Quando eu amo alguém sou disposta a fazer tudo que estiver ao meu alcance para ver o outro feliz, mas hoje sei os meus limites e sei exatamente o que eu quero e o que preciso em uma relação, quando a maturidade começa a bater na porta, o frio na barriga já não é a primeira coisa a que você se atenta, não me leve a mal eu gosto de paixões que tirem o fôlego, mas hoje estou no tempo de querer um amor que não me impeça de respirar, hoje em dia eu busco a calmaria de saber que tem alguém que também faria tudo que tivesse ao seu alcance pra me ver sorrir, saber que existe alguém que pensa em mim com carinho e que também sabe exatamente o que quer e porque ainda está comigo.

O amor não é uma ciência exata, mas aprendi que na maioria das vezes ele é feito de escolhas, sei que o sentimento não se explica, muitas vezes é difícil colocar em palavras, eu costumava pensar que quando não soubesse o porquê de amar, ai eu estaria amando verdadeiramente, eu valorizo o mistério do amor, mas hoje prefiro pensar no amor de outra maneira, prefiro saber o que vi no outro para querer ao seu lado dividir uma vida, prefiro não mais me perder em amores que de tanto não ter explicação, no final não fazem mais nenhum sentido.

Você acorda todo dia e escolhe ainda estar naquele lugar, um amor não pode te aprisionar, então ele precisa te fazer escolher diariamente se aquela relação ainda lhe cabe, se ela ainda faz sentido, se ainda te faz bem, o amor é bem mais que o frio na barriga, o amor é lidar com o dia a dia lado a lado e mesmo assim ainda achar especial e lindo ver o seu amor fazendo um almoço mais elaborado em um final de semana qualquer, é não perder o encanto mesmo que a rotina seja dura, é saber que o carinho e cuidado diário valem mais que mil declarações de amor grandiosas e públicas.

Hoje em dia penso que se eu sei exatamente o que me faz sorrir ao encontrar alguém mesmo depois de anos ao lado dela é porque estou amando verdadeiramente, no momento em que vejo o motivo diante de mim eu escolho dizer sim a essa relação, é uma espécie de renovação de votos diária, porque o amor é simplesmente escolher amar e ser amada, o amor é escolher se entregar, escolher cuidar para que ele cresça cada vez mais, ou escolher que já hora de deixar esse amor encontrar o seu fim. Dizer que o amor é uma escolha não tira o seu brilho, escolher acordar com alguém todos os dias implica confiança e implica dizer que aquela pessoa é tão especial que no momento é impossível se imaginar acordando do lado de qualquer outra pessoa ou sozinho.

Valorizo bem mais o querer, valorizo bem mais os sentimentos bem elaborados que te fazem ter certeza que é a escolha certa dizer sim todos os dias para a mesma pessoa, ou mesmas pessoas, o mais lindo do amor é a multiplicidade, é a liberdade de amar a sua maneira e saber que não há nada de errado em querer um amor que tire o fôlego, que te dê frio na barriga, mas é necessário entender que esse não é o único jeito de amar, existe a possibilidade de ter a calmaria e a voracidade de uma paixão ao mesmo tempo,porém o mais importante é ser feliz e saber o que te faz dizer sim, o que te faz sorrir quando pensa no outro, o que te faz ter certeza que aquela escolha, naquele momento, ainda é a escolha certa.

Mulher, negra, LGBT // Escrevo sobre amor para aliviar a alma. Escrevo sobre a dor para tentar curá-la. Escrevo sobre a realidade para tentar mudá-la.

Mulher, negra, LGBT // Escrevo sobre amor para aliviar a alma. Escrevo sobre a dor para tentar curá-la. Escrevo sobre a realidade para tentar mudá-la.