Para amar é necessário ser forte.

Eu nunca gostei de conhecer gente nova, nunca gostei de deixar as pessoas entrarem na minha vida, nunca gostei de criar intimidade, de cultivar sentimentos fortes. Chegadas sempre me assustaram porque elas sempre vieram acompanhadas da iminência da partida. Eu não sou boa com relacionamentos, as pessoas geralmente não ficam, e toda vez que alguém chega eu já começo a desenhar na minha mente sua partida. O amor sempre me assustou. O amar é um ato de coragem, eu costumava ser covarde. Desenhava finais desde o início para não sofrer quando de fato eles acontecessem, mas o que acabava acontecendo era que eu sofria em dobro, na chegada e na partida. Eu sempre sonhei com a eternidade, sempre sonhei em casar com a primeira pessoa por quem eu me apaixonasse e batalhei com todas as forças para não deixar o sentimento chegar até que eu tivesse certeza que ele seria eterno. Mas meus planos foram por água a baixo, eu me apaixonei e essa paixão teve fim, e hoje o sentimento de que nada é eterno voltou a me rondar, só que agora eu de fato aprendi que nada é eterno. Mas tá tudo bem. Nenhum sentimento pode ser medido pelo tempo que durar. Amores não precisam ser infinitos para serem importantes e reais. Amores não perdem seu valor por terem chegado ao fim. Eu não me casarei com a minha primeira paixão, hoje sei que nem tudo é como planejamos. Ainda carrego sonhos, medos e inseguranças. Eu agora tenho mais uma vez medo de deixar um outro alguém chegar, porém tenho maturidade e bagagem suficiente pra saber que as vezes o final não é tão ruim assim e que estar sozinho em alguns momentos faz parte da existência de todo ser humano. O medo agora é menor do que a vontade de viver. Eu aprendi que de fato, amar é para quem tem força e eu com certeza nasci para o amor.

Mulher, negra, LGBT // Escrevo sobre amor para aliviar a alma. Escrevo sobre a dor para tentar curá-la. Escrevo sobre a realidade para tentar mudá-la.

Mulher, negra, LGBT // Escrevo sobre amor para aliviar a alma. Escrevo sobre a dor para tentar curá-la. Escrevo sobre a realidade para tentar mudá-la.