Entender os desígnios da vida, os caminhos tortuosos, as curvas fechadas que quase nos fazem cair, é difícil.

Nós nunca estamos preparados para o pior, para quando as luzes irão se apagar e o escuro reinará por um tempo dentro da nossa alma.

Lidar com essa escuridão e se reerguer com muitas feridas não saradas, que ainda estão tentando cicatrizar, mas continuar de pé, lidando com tudo, sem deixar que a escuridão tome conta por completo de nós, é um dos processos mais difícieis, porém mais lindos de toda nossa vida.

Aprender a vivenciar a dor, a se entregar para dor, aprender a não dizer a todo custo que está tudo bem, a não querer agradar a todos, e principalmente, aprender a respeitar o nosso tempo.

Depois de algumas perdas é mais fácil conseguir dar mais valor ao que ficou, é mais fácil entender que não se pode tentar controlar tudo, não se pode tentar salvar a todos, não se pode esgotar todas as suas forças e no final estar só, sem conseguir encontrar energia e vontade para levantar.

É importante amar intensamente, é importante se doar, é importante mostrar o carinho que você sente para as pessoas que realmente importam e falar tudo que o seu coração pede, mas também é necessário ter calma, refletir, e saber que ninguém é obrigado, a ter acesso a tudo o que você pensa e sente.

Guardar sentimentos, palavras e atitudes faz um mal imenso, mas se preciptar e despejar todo sentimento não refletido, toda palavra carregada de mágoa, não é o ideal.

Tenha em mente que o necessário é preciso ser dito, que o amor é preciso ser expressado, que o mal entendido é preciso ser acertado, mas que o tempo ajuda a amadurecer as palavras, os sentimentos e as emoções, o tempo é rei de tudo.

Saiba escutar o que você realmente sente e siga a sua vida sem arrependimentos, nem por ter guardado demais e nem por ter liberado o que não devia.

Em tempos de reclusão, estejamos mais conectados com nós mesmos e com quem nós amamos, estejamos em paz, para que assim possamos conseguir passar pelas dificuldades de peito aberto, e que depois de passar por tanta dor, possamos, de fato, renascer ainda mais fortes …

Mulher, negra, LGBT // Escrevo sobre amor para aliviar a alma. Escrevo sobre a dor para tentar curá-la. Escrevo sobre a realidade para tentar mudá-la.

Mulher, negra, LGBT // Escrevo sobre amor para aliviar a alma. Escrevo sobre a dor para tentar curá-la. Escrevo sobre a realidade para tentar mudá-la.