Um breve diálogo entre branquitude e anti-racismo

Ser anti-racista não é simplesmente postar uma tag em alguma rede social, escrever um textão no dia da consciência negra, ou aparecer em correntes contra o racismo na internet quando algum caso de violência chama atenção da mídia.

Ser anti-racista de fato, é no dia a dia não reduzir todo homem preto a ladrão, é não afirmar que não é racista porque a sua empregada é praticamente da família, é não se sentir surpreso e ficar questionando a competência da sua chefe ou do seu chefe negro,ou do seu colega de trabalho que ocupa o mesmo cargo que você.

Ser anti-racista é não rir das piadas que seus amigos fazem, que claramente só servem para naturalizar o racismo intrínseco em suas falas, ser anti-racista é questionar porque mesmo sendo a maioria da população existem tão poucos negros e negras nos lugares de poder, é lutar por ações afirmativas, consumir conteúdo de pessoas pretas, e ser contra toda forma de racismo de maneira objetiva, sem falar que é vitimismo e ouvir quando tiver que ouvir.

A luta contra o Racismo é uma luta de todos, mas ela não se resume a uma postagem no twitter ou a uma foto com tela preta no instagram, ela é uma luta diária, pois o racismo é sofrido na pele diariamente, procure estudar sobre, pesquise formas de ser anti-racista verdadeiramente, ouça quando lhe apontarem posicionamentos e atitudes erradas, entenda os seus privilégios e use deles para ajudar na luta de forma eficiente.

A luta contra o racismo precisa ser constante e precisa ser de todos !

Mulher, negra, LGBT // Escrevo sobre amor para aliviar a alma. Escrevo sobre a dor para tentar curá-la. Escrevo sobre a realidade para tentar mudá-la.