A inconsistência do toque voraz, que faz o meu peito arfar e pedir mais ar, sem conseguir respirar o meu único alento é tomar os teus suspiros como meus, teu ar como o meu, até conseguir retomar aos pouquinhos o controle sobre o meu próprio corpo, que a poucos segundos era só teu, apenas teu, de mais ninguém.

Me leva a lugares que eu nunca fui, me faz gritar e te arranhar, só porque preciso demonstrar que não quero que você pare, que não quero que termine. Deixa eu te provar, sentir o teu sabor é tão bom, me envolve na penumbra dos teus cabelos e me faz ser completamente tua por algum tempo. Só hoje, o que vamos fazer depois fica pra ser pensado em outro momento. Só hoje, me deixa te tocar sem hora para parar.

Eu entendo teus gemidos como uma confirmação e vou mais fundo do que tinha ido até então, em horas eu já te conheço, estamos conectados, seguimos no mesmo ritmo, eu grito, tu grita e em meio a eles a gente entende, nós somos bons juntos, bons demais.

O ruim vai ser quando a lembrança vier e eu pensar que o combinado era ser só uma noite e nada mais, mas para que serve essa regra eu já esqueci. Então volta aqui que o nosso tempo ainda não acabou, cabem mais três horas, ou uma vida inteira se você quiser.

O fato é que assim você me tem nas mãos e com você não me importo de ser completamente dada, nesse momento que é só eu e você pode fazer o que quiser. Teu prazer é minha prioridade, eu sei que o meu é tua prioridade também, o cuidado do gozar juntos, segurando as mãos um do outro, é lindo de ver, é lindo participar dessa dança com você.

Vamos até o amanhecer, ou quem sabe mais, o importante é que sei que te marquei. Tuas costas arranhadas não te deixam negar. A noite de hoje vai perdurar…

Mulher, negra, LGBT // Escrevo sobre amor para aliviar a alma. Escrevo sobre a dor para tentar curá-la. Escrevo sobre a realidade para tentar mudá-la.

Mulher, negra, LGBT // Escrevo sobre amor para aliviar a alma. Escrevo sobre a dor para tentar curá-la. Escrevo sobre a realidade para tentar mudá-la.